Batendo-nos pela Integração Financeira Regional

Ao redor do mundo, pequenos e grandes países congregam-se em mercados regionais para melhorarem a qualidade de vida das suas populações. Em mercados de maior dimensão, as empresas conseguem vender a um maior número de clientes e as pessoas têm mais empregos à sua escolha. As empresas estrangeiras tendem a investir mais num mercado unificado da SADC com uma população de 280 milhões de habitantes e um PIB de $650 biliões (2011), ao invés de num único mercado com 2, 10 ou até 40 milhões de habitantes. Criar um mercado regional com múltiplos países significa que as barreiras têm que ser removidas. A remoção de barreiras às transacções financeiras entre países é chamada integração financeira regional. Tornas-e mais fácil para uma empresa investir num país vizinho, para um indivíduo receber dinheiro enviado por um familiar a trabalhar noutro país, para um governo partilhar receitas aduaneiras com outro, e para os pensionistas assegurarem que o o seu dinheiro ganho com bastante suor seja investido para obter os maiores retornos possíveis para a sua velhice. Fazer com que a integração financeira regional aconteça requer que os países que desejem aderir ao mercado comum estabeleçam e apliquem padrões comuns, harmonizem a sua legislação, e então trabalhem juntos para terem a certeza de que as regras comuns são aplicadas com o mesmo vigor por todos. Fazer com que tal aconteça é o que o Protocolo da SADC sobre Finanças e Investimento (PFI) se propõe fazer.